Arquivos da Categoria: Eventos

Avenida do Café

Avenida Café

Avenida Café

O Brasil é o maior produtor e exportador de café.
Comemorando 51 anos, o Mercado Municipal de Curitiba promoveu, juntamente com vários parceiros, de 6 a 9 de agosto, um evento chamado Avenida do Café. O objetivo foi divulgar e incentivar o consumo do café paranaense.
Fizeram parte desse evento curso de barista e de arte latte (técnica de desenhar na espuma do leite).
Houve o Campeonato Nacional de Baristas, etapa Paraná.
Acompanhei uma prova de degustação, chamada cup tasters, que consiste em testes triangulares de café, com oito trincas de xícaras. Duas são iguais e uma diferente. Os competidores provam e separam a xícara com o café diferente. Ganha quem acertar o maior número de cafés diferentes.

O Sr. Trento gentilmente informou-me sobre cada espaço montado na Avenida do Café, a começar pelo globo, que mostra a trajetória do café no mundo.
(clique para ampliar)

Resgate histórico do café

Aqui foi feito um resgate histórico do café, com exposição de utensílios utilizados há 60 anos, que vieram do Museu do Café, de Londrina. Foi recriado o cotidiano de uma família produtora de café.
Cabe ressaltar que em julho de 1975 o Paraná perdeu a safra de café, em virtude da geada. Em Curitiba nevou naquele ano.
A exposição foi montada pela Integrada Cooperativa Agroindustrial.

Também havia a ala de torrefação de café, onde expuseram torradeiras antigas e modernas. Em horários programados, fizeram torrefação de grãos ao vivo.

(clique para ampliar)

Montaram uma pequena lavoura, onde podia ser vista a produção desde a semeadura, a germinação, vários estágios do desenvolvimento dos pés e trouxeram até a terra do norte do Paraná.

Em vários stands foram apresentados ao público diferentes marcas e tipos de café, com direito à degustação.

(clique para ampliar)

Histórico de máquinas de café

Aqui havia um cartaz com o histórico das máquinas de café espresso e uma exposição com várias máquinas.

Para as crianças havia um livreto chamado Café é genial, de Beatriz, Elizabeth e Ruyter C. Ribeiro. Havia também um espaço interativo, onde elas podiam revolver os grãos, simulando a secagem em terreiros, além de peneira para jogar o café para o alto.
E olha aí o Sr. Trento se divertindo com a criançada.
Foi uma mostra bem completa, da semeadura até o consumidor. E o objetivo principal foi alcançado, pelo menos comigo… Depois de degustar um expresso paranaense, saí de lá com um pacote para fazer em casa. Muito bom!
Café Gourmet
Você sabe o que é um café especial ou gourmet?
É aquele que atinge pontuação superior a 80, numa escala que vai de 0 a 100, na classificação da SCAA (Associação Americana de Cafés Especiais), considerada padrão de referência mundial. São avaliados aroma, corpo, amargor, sabor e sabor residual.
E agora a receita deles para o preparo de um bom café:
  • Utilize água mineral ou filtrada
  • Aqueça a água até o momento em que começar a soltar bolhas de ar do fundo (antes da fervura)
  • Utilize 50 g (4 colheres de sopa bem cheias) de pó de café para cada 500 ml de água
Aceita um cafezinho paranaense?

Festa Nacional Carneiro no Buraco

Festa Nacional Carneiro no Buraco

Festa Nacional Carneiro no Buraco

Desde 1991 ocorre a Festa Nacional Carneiro no Buraco, onde o prato típico é cozido em buracos de 1,50 m de profundidade e 1,05 m de diâmetro.

Carneiro no Buraco

No início de julho, minha filha assistiu a festa e documentou para o blog. Aqui estavam os 146 tachos, com o prato pronto para ser assado.

Existem 2 rituais nessa festa. No sábado é o Ritual do Fogo, quando um cortejo segue até o buraco n° 1 no “Pavilhão dos Buracos”. Neste recinto há 146 deles. O acendimento ocorre por volta de meia-noite.
Às 4 da madrugada descem os tachos tampados, até às brasas. Na borda do buraco é colocada outra tampa, que é coberta com terra.

No domingo é realizado o Ritual de Retirada dos Tachos, onde o mesmo cortejo segue até o tacho n° 1, marcando o início do almoço. A previsão deste ano era de que fossem servidas 10.000 pessoas.

Carneiro no Buraco

Como surgiu o carneiro no buraco

Esse prato foi criado em 1962, quando 3 moradores de Campo Mourão, no Paraná, assistiram a um filme em que vaqueiros preparavam alimentos sobre brasas, dentro de um buraco. Decidiram usar o mesmo processo para o carneiro.
Inicialmente fizeram para os amigos, o prato foi ganhando fama e passou a ser servido quando autoridades visitavam a cidade.
Em 1990, a iguaria foi oficializada como prato típico de Campo Mourão.

Carneiro no buraco

(Ingredientes para 1 tacho)
27 k de carne de carneiro de média idade
2 k de tomate miúdos
3 k de batata doce
3 k de mandioquinha
2 k de chuchu
2 k de cenoura
1/2 k de pimentão
1 k de vagem
1 k de mandioca
1,5 k de maçã vermelha miúda
2 k de abobrinha
2 k de cebola miúda

Ingredientes do tempero

815 g de sal
10 g de pimenta-do-reino
300 ml de óleo
1,2 litro de vinagre
100 g de Ajinomoto
2 maços de salsinha
2 maços de cebolinha
300 g de alho
250 ml de molho de soja

Preparo

Os ingredientes do tempero são batidos em liquidificador, a carne é cortada em pedaços pequenos, a qual deve permanecer por 3 horas no vinha d’alhos.
No tacho untado, a primeira camada é sempre de chuchu e abobrinha. Em seguida, alternadamente as camadas de carne e legumes. No final, colocam-se os tomates, as cebolas e maçãs, inteiros. O restante do tempero que sobrou do vinha d’alhos é despejado por cima.
Ganchos especiais são usados na colocação e retirada do tacho, que é desenterrado depois de 6 horas.

O pirão é preparado com caldo retirado do tacho, farinha de mandioca torrada, além de cheiro verde e pimenta a gosto.

O carneiro é acompanhado de arroz branco, pirão e saladas.
O tacho fica sobre fogareiro que o mantém aquecido.

Bracatinga-de-campo-mourão
Bracatinga-de-campo-mourão (Mimosa Flocculosa)
Foto: Angela
A Mimosa flocculosa é natural do Brasil e do Paraguai, sendo conhecida também como bracatinga-rósea e jurema.

Suco de uva terci e Festa da Uva em Colombo, PR

Suco de uva terciQuando morava em Campinas, adorava ir às festas das cidades vizinhas. Tinha festa do figo em Valinhos, do morango em Atibaia, da laranja em Limeira, das flores em Holambra…
Quando soube que haveria a 46ª Festa da Uva de Colombo, fiquei com vontade de visitar, principalmente porque é organizada pela colônia italiana.
Tenho essa receita deliciosa de suco de uva terci dos anos 90, da época que morei em Campinas.

Continuar lendo