Tag Archives: Espírito Santo

Peroá, um peixe típico do Espírito Santo

Peroá frito

Pego meu prato e vou pra varanda para fotografar, enquanto minha mãe se diverte com minha mania de tirar fotos de pratos…rs!
Em minha última estadia pelo litoral capixaba não podia deixar de saborear esse peixinho típico, o peroá, também conhecido como porquinho.
Vendido inteiro e limpo, normalmente em pacotes de 3 quilos. As cabeças minha mãe separou para fazer cozidas e o corpo virou um prato muito saboroso, o peroá frito!
Fomos, minha mãe e eu, buscar o nosso peixe diretamente no Mercado Municipal de Anchieta (ES), na beira do porto.
Mostro abaixo um pouco mais desse lugar, nas belas imagens, onde as garças estão sempre presentes, acompanhando o pescado. Continuar lendo

Dois Irmãos, Anchieta (ES)

Dois Irmãos

Dois Irmãos é uma pequena comunidade rural pertencente à cidade de Anchieta (ES).

Minha recente viagem ao interior do Espírito Santo já rendeu vários posts, tamanha a diversidade de aspectos culturais ligados à gastronomia simples que lá encontrei. Claro que o envolvimento afetivo com os familiares agrega um valor inestimável.
Já contei um pouco da minha alegria de criança, quando íamos para esse lugar. Ficaram na memória ternas lembranças. Mas a grande surpresa foi proporcionada pelos meus tios, que me levaram para matar a saudade daquele cantinho.
A simples imagem da placa na estrada, indicando o lugar, já se tornou emblemática e ensejou algumas fotos. Como explicar a emoção que foi tomando conta, à medida que reconhecíamos uma casinha antiga, o açude, que tantos benefícios trouxe aos colonos italianos? Continuar lendo

Pimentas brasileiras

pimentas brasileiras

Pimentas brasileiras

Viajando pelo Espírito Santo, fui visitar mais uma vez a Feira da Roça e me deparei com algumas pimentas brasileiras que desconhecia. A curiosidade falou mais alto e pedi informações ao vendedor. De posse dos dados, lancei um questionamento nas redes sociais sobre algumas dessas. Não estou sozinha nessa quesito, uns conhecem, outros não! Acho sempre interessante divulgar todo universo da culinária/gastronomia. O mais bacana é saber que são muitas as pimentas brasileiras!
Do alto para baixo, a 1ª isolada e vermelhinha é a malagueta (Capsicum frutescens). Nessa mesma ordem, na 1ª linha, temos a murupi-do-pará (C. chinensis), considerada a mais ardida entre as pimentas brasileiras. A 2ª é a cumari-do-pará (C. chinensis), bode amarela ou bodinha (C. chinensis) e biquinho vermelha (C. chinensis). Na 2ª linha, a dedo-de-moça (C. baccatum); a cumari (C. Baccatum), verde e pequenina. Na 3ª linha, temos a chapéu ou arriba-saia ou umbigo-de-tainha (C. chinensis); a biquinho vermelha novamente; nas caixas maiores, a pimenta-de-cheiro (C. chinensis) e a biquinho amarela (C. chinensis). 

pimenta cumari
Conserva de pimenta cumari

Pimenta-chapéu ou arriba saia
A pimenta-chapéu ou arriba-saia ou umbigo-de-tainha (C. chinensis) é muito ardida e dizem que as moças abanam-se com a saia para aliviar a ardência.
Quem sabe me anime a incluir mais algumas dessas pimentas na minha cozinha… A que mais uso em casa é a pimenta-do-reino, mas gosto da biquinho, da cambuci e da dedo-de-moça, todas de pouca ou nenhuma pungência.
Veja algumas receitas em que você pode empregar essas e outras pimentas:
Pimenta cambuci recheada
Rosbife com vinagrete de pimenta biquinho
Guacamole
Jambalaya – culinária creoule
Chili – gastronomia mexicana
Bacalhau na brasa
Arrumadinho
Escondidinho de carne seca com abóbora
Escondidinho de carne de sol