Arquivos da Categoria: Doces

Nozes-pecãs caramelizadas com especiarias

Nozes-pecãs caramelizadas com especiarias

A produção na nogueira-pecã

Nozes-pecãs caramelizadas com especiarias são petiscos irresistíveis!
Uma nogueira em casa é fantástico!
Fotografei as flores em novembro; depois as drupas em janeiro; o secamento, a abertura e a liberação das nozes-pecãs em abril e maio!
Ano passado a produção foi insignificante, mas esse ano podemos dizer que a “safra” foi razoável para um pé jovem.
Há mais de dois meses vejo a nogueira totalmente sem folhas, exibindo aproximadamente umas 20 nozes, que recusam-se a cair espontaneamente. Nem uma boa ventania, que me fez colher num só dia uma boa porção, foi capaz de liberar essas últimas. Ficam lá no pé me “afrontando”.
O vento me induz a olhar pela janela várias vezes. Quando vejo nozes no chão, lá vou eu colhê-las. Torcendo pela ventania para derrubar de vez as últimas, já que o pé é alto e não dispomos de nada que ajude a bater no pé para derrubá-las.
Continuar lendo

Panqueca de amora e a bela produção da amoreira

Panqueca de amora

Saborear amoras ao natural é o primeiro prazer de colher as frutas num pé carregadinho. Apesar de alto,  tem galhos que vão até o chão. Esforço zero.
Como é muito perecível, providenciei logo uma panqueca de amora, para não apenas congelar a safra.
Confira no final do post a amoreira da qual colhi até agora mais de 2 kg de frutas, uma a uma. E veja como o pé nem se abala, mantendo uma quantidade imensa de frutas imaturas.
Bom para todos, inclusive para os passarinhos! Continuar lendo

Arroz doce brûlée

Arroz doce brûlée

Arroz doce brûlée nada mais é do que o nosso tradicional doce coberto por uma camada de açúcar e queimado com o maçarico. Delícia!
Fui para a varanda saborear meu arroz doce brûlée, fazendo aquele ritual básico de quebrar a casquinha crocante com a colher.
Sentei ao sol para aproveitar as horas mais quentes do final do inverno, porque todas as estações têm lá suas belezas, nuances e valores. Continuar lendo